terça-feira, 21 de julho de 2009

Além Tejo..


E assim foi mais uma viagem por estradas de Portugal com destino marcado no Alentejo.
Começa-se o dia com uma viagem de carro com paragem em Vendas Novas para o pequeno-almoço que não se teve vontade de comer em casa xD.
É sempre bom rever paisagens tão calmas, amenas, soalheiras...
Passear[embora seja de carro] por longos caminhos ladeados de kms e kms de planalto coberto por frágeis vagens de trigo, pelo verde seco das oliveiras, pelo verde seco das oliveiras, pelo verde-escuro e o alinhamento das vinhas... Tudo isto na companhia da música que vou armazenando de vez em quando no meu MP3[que é da idade da pedra mas funciona =P].

Sabe bem percorrer aqueles campos com o olhar...
Por fim, depois de conversas de adultos, intercaladas com as mais diversas brincadeiras com a minha afilhada[de 5 anos], acaba-se o dia com uma viagem de regresso que tem intervalo em Pegões para sossegar o estômago com uma sopa e uma bifana.
São sempre muito parecidas estas idas à aldeia mas há que aproveitar porque é sempre bom afastar-me[mesmo que seja só por umas horas] da confusão e da poluição da capital[sim porque Lisboa tem o seu encanto, mas cansa xD].
Não sei sobre o que será o próximo tópico mas sei que este fica por aqui que amanhã há mais lol ***

quarta-feira, 15 de julho de 2009

"Saudades dos velhos tempos"

Porque alguém[melhor amigo] se lembrou de escrever um tópico no blog sobre os velhos tempos.
Disse para eu ler e eu li, mas claro, não podia deixar de comentar não é??
LÓGICO!
E pronto, o que me saíu foi isto:


« E eu confesso que, apesar de continuarmos amigos, também tenho saudades. Imensas. Entre estes quatro houve amizades que mudaram radicalmente. E depois é sempre aquela saudade que vai acumulando um bocadinho todos os dias e que umas escassas horas não chegam para a atenuar. Seria preciso muito mais... Muito mais que horas, muito mais que dias... Talvez muito mais que meses...Sei que haverá sempre um elo de ligação entre nós, por mais ténue que seja. Mas sei que haverá.Agora fecho os olhos e, de repente, tudo gira a minha volta. Os momentos, os sorrisos, as palavras, os olhares. Nem em fotos ou filme era possível mostrar ao mundo o que nos uniu, une e unirá pois isso é só nosso. Só nós sabemos a força que tinha. Só nós! Porque fomos nós que o sentimos... E somos nós que o guardamos para sempre no coração.Quantas vezes me apeteceu um "abraço de grupo". Quantas e quantas vezes. É inimaginável a vontade que tenho que estejamos tão próximos como antes. Sei que nada pode ser igual porque todos nós mudámos mas, pelo menos, quero sentir a proximidade que nos acolhia e aconchegava a todos no mesmo colo. Um colo que talvez se chame amizade.Assim fica o meu testemunho. Pode parecer que às vezes ando na lua mas uma coisa podem ter como certa. Nunca me esqueço de vocês, por mais distantes que estejam! »

O comentário ficou maior que o texto mas no problem xD
E para saberem a que texto isto responde só digo uma coisa:
"são vidas, tenho dito"Aqui fica o tópico de hoje.
"Tudo de bom, saúdinha"
[frase muito utilizada ultimamente sabe.se lá por quem e em que ocasiões =P]

quinta-feira, 2 de julho de 2009

Amar?!

Amar? Para quê? Para por fim me sentir magoada?
Será que já amei? Será que já gostei tanto de alguém ao ponto de deixar de pensar em mim para dedicar os meus pensamentos a outra pessoa? Talvez...
Será que que já dediquei mais tempo a outra pessoa do que a mim própria?
Será que já me preocupei mais com outra pessoa, com o seu bem-estar, com os seus gostos e com a sua vida do que comigo?
Será que já vivi em função de um alguém, tentando fazer com que a vida dessa pessoa fosse um pouco melhor?
Será que já passei noites em claro a fazer planos com um outro ser?
Será que já pensei que não iria conseguir viver se não estivesse com esse alguém?
Será...?
Será isto o amor?!
Esta dependência, esta entrega, esta espécie de obcessão, esta dor intermitente, este sabor amargo, este gosto doce, esta ilusão, esta desilusão?
Será o amor este sentimento que nos eleva às nuvens e no mesmo instante nos faz descer a pique?
Sim...talvez já tenha amado...
Sim...talvez já tenha sofrido...
Não...não quero voltar a amar!
Sim...porque tenho medo...
Não quero saber se é algo de bom que nos faz sentir bem, que nos rejuvenesce, que nos eleva...
Não quero saber se nos faz feliz por uns momentos...não quero! Acho eu...
Para que serve essa felicidade se é efémera?! O sofrimento causado é, em tudo, maior que a felicidade já sentida...não é?
Não quero amar! Não quero apaixonar-me! Não quero sofrer! Porque tenho medo...
Mas como não mando no coração e nos sentimentos...talvez um dia me apaixone...e talvez seja correspondida!