domingo, 30 de agosto de 2009

Nos seus braços...

"Nos seus braços era fácil fantasiar que ele me desejava. Não queria pensar nas motivações. Talvez o tempo que passámos separados tivesse sido o suficiente para que não o aborrecesse. Isso não tinha qualquer importância. Sentia.me muito mais feliz a fingir.
Permaneci nos seus braços, em silêncio, fixando novamente o mesmo rosto gravado na memória, fingindo..."

1 comentário: