quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Espera um minuto...


Espera um minuto,
Quero inteirar-me da realidade.
Não sou perfeita,
Tenho sentimentos como os teus.
Caminho.
Vejo-te,
No final de todas as ruas.
Escolho uma e avanço.
Caminho.
Não te alcanço.
Caminhas.
Estendo a mão mas não te toco.
Caminhas.
Numa outra direção.
Não me vês, não me ouves, não me sentes.
Eu sinto-te.
Aqui, ali, em toda a parte.
Eu sinto-te.
Mas não quero sentir-te.
Não assim, não agora.
Não sou perfeita,
Tenho sentimentos que não são os teus.


By Andreia Gomes

quinta-feira, 17 de setembro de 2009

São vidas...


Luto contra mim,
Envolta num remoinho de sentimentos.
Remoinho? Não!
Talvez ciclone ou furacão!
Sossegadamente surge,
Sem aviso prévio.
Sem pedir permissão, entra
E dança, canta e pula.
Não há quem acompanhe
Este trepidar de emoções.
E volta a doer.
Tal como sempre dói
Repete-se e torna a repetir-se.
A expectativa diminui
E a esperança é nula.
A calma grita exaltada
E a força resume-se a nada.
Baixo a cabeça e olho em frente,
Simultaneamente.
Só preciso que acreditem que sorrio
Quando, na realidade, agonio.


By Andreia Gomes

terça-feira, 8 de setembro de 2009

Sonho...

"Já é tarde. Dorme. Que tenhas sonhos felizes.Tu foste a única que alguma vez tocou o meu coração. E ele será para sempre teu. Dorme, meu amor."
Começou a cantarolar a minha canção de embalar e percebi que seria uma questão de tempo até sucumbir. Por isso fechei os olhos e aninhei-me no seu peito.

quinta-feira, 3 de setembro de 2009

Eclipse...

"Os meus braços fecharam-se em redor do seu pescoço e desejei ser mais forte, pelo menos o suficiente para o conseguir manter prisioneiro do meu abraço. Uma mão deslizou pelas minhas costas, pressionando o meu corpo contra a peito de pedra. Mesmo por baixo da camisola, a pele era tão fria que me arrepiou - um arrepio de prazer, de felicidade. Mas em resposta à minha reacção, a pressão das suas mãos começou a diminuir.
Sabia que me restavam certa de três segundos até ele suspirar e se afastar habilmente de mim, dizendo alguma coisa sobre como já tínhamos arriscado a minha vida o suficiente para uma tarde só. Aproveitando ao máximo os derradeiros instantes, aproximei-me mais dele, moldando-me totalmente à sua forma. A ponta da minha língua contornou o lábio inferior dele; era tão suave e perfeito como se tivesse sido polido e o sabor...
Ele afastou os rostos, desviando o meu abraço com facilidade - provavelmente nem se tinha apercebido que eu recorrera a toda a minha força."

Amizade...

Amizade é uma relação afectiva entre duas pessoas. Em sentido amplo, é um relacionamento humano que envolve o conhecimento mútuo e a afeição, além de lealdade ao ponto do altruísmo. A amizade pode ter como origem, um instinto de sobrevivência da espécie, com a necessidade de proteger e ser protegido por outros seres. Alguns amigos denominam-se "melhores amigos". Os melhores amigos, muitas vezes, conhecem-se melhor que os próprios familiares, funcionando como confidentes. Para atingir esse grau de amizade são depositadas muita confiança e fidelidade.Muitas vezes os interesses dos amigos são parecidos e demonstram um senso de cooperação. Mas também há pessoas que não se interessam pelo mesmo tema, mas gostam de partilhar momentos juntos, pela companhia e amizade do outro, mesmo que a actividade não seja da sua preferência.
A amizade é uma das mais comuns relações interpessoais que a maioria dos seres humanos tem na vida. Em caso de perda da amizade, deve existir a reconciliação e o perdão.

terça-feira, 1 de setembro de 2009

Todas as ruas do amor...

Se sou tinta, tu és tela
Se sou chuva, és aguarela
Se sou sal, és branca areia
Se sou mar, és maré cheia
Se sou céu, és nuvem nele
Se sou estrela, és de encantar
Se sou noite, és luz para ela
Se sou dia, és o luar
Sou a voz do coração
Numa carta aberta ao mundo
Sou o espelho d'emoção
Do teu olhar profundo
Sou um todo num instante
Corpo dado em jeito amante
Sou o tempo que não passa
Quando a saudade me abraça
Beija o mar, o vento e a lua
Sou um sol em neve nua
Em todas as ruas do amor
Serás meu e eu serei tua
Se sou tinta, tu és tela
Se sou chuva, és aguarela
Se sou sal, és branca areia
Se sou mar, és maré cheia
Se sou céu, és nuvem nele
Se sou estrela, és de encantar
Se sou noite, és luz para ela
Se sou dia, és o luar
Beija o mar, o vento e a lua
Sou um sol em neve nua
Em todas as ruas do amor
Serás meu e eu serei tua